Lição 9 – Você não é quem pensa que é

0

Tiago 4:11-17, texto no qual está fundamentado o estudo desta semana, nos faz pensar na brevidade da vida (“Vocês não passam de neblina que aparece por um instante e logo se dissipa”; v. 14) e no desperdício de tempo com coisas sem sentido e sem sabor de eternidade. Estamos todos no mesmo barco (o mundo caído) e lutando contra nossas fraquezas e tendências pecaminosas. Justamente por isso, não faz sentido algum falar mal uns dos outros e julgar intenções (v. 11, 12). Só Deus nos conhece por inteiro e profundamente; só Ele sonda os mais profundos pensamentos e conhece as intenções ocultas. A nós, seres não oniscientes, não compete julgar esse tipo de coisa (o que não significa que não devamos julgar e até denunciar [Ef 5:11] os pecados aparentes e com potencial de desencaminhar pessoas – dar nome ao pecado e procurar salvar o pecador). O texto bíblico também nos faz pensar que, embora devamos fazer planos para a vida, em primeira e última instância, ela está nas mãos de Deus. E o autor conclui dizendo que, nesta vida passageira, obviamente orgulho, prepotência e arrogância são ridículos, levando em conta nossa pequenez, transitoriedade e nosso desamparo. Tudo vem de Deus e devemos ser sempre gratos por isso. Só para citar um exemplo: a delgada camada de ar que circunda nosso planeta só existe porque o Criador mantém a força da gravidade que, por sua vez, mantém as moléculas dos gases próximas da superfície da Terra. Se Deus esquecesse por um instante de manter as leis que regem o Universo e sustentam a realidade, nós simplesmente desintegraríamos. Orgulho de que mesmo? Sejamos humildes, gratos e reconhecidos. E tratemos bem nossos companheiros de vida curta, que logo, pela graça de Cristo, será eterna.

Compartilhar.

Sobre o autor

Avatar

Pastor, jornalista, editor da revista Vida e Saúde e editor associado da ComTexto

Deixe um comentário