Lição 5 – Batalha das Alianças

0

Será que há mesmo desacordo entre as alianças a ponto de podermos falar que elas travam uma batalha? Sejamos honestos, há diferenças entre uma e outra. Não podemos nem devemos negar que cada uma tem suas características distintas. Diante disso, é quase inevitável não acharmos a nova aliança mais “glamourosa”, afinal, a cruz de Jesus trouxe a derrota definitiva das trevas. Quando olhamos para a vitória de Cristo, nos maravilhamos com a nova aliança.

Contudo, não podemos nos esquecer de que o sangue derramado, segundo Hebreus 13:20, é o sangue da eterna aliança. Quando pensamos em eterno, logo dispensamos qualquer expressão que nos remeta aos aspectos temporais como antiga e nova.

Quando a Bíblia diz de uma aliança eterna, automaticamente ela fala sobre algo que abarca todas as eras. Sendo assim, o sangue de Jesus foi cronologicamente derramado na cruz, no ano 31 d.C., mas no que diz respeito à sua abrangência e eficácia, ela cobre todos os tempos, desde antes da fundação do mundo.

Outro texto importante é o de 2 Timóteo 1:9, que confere ainda mais força à compreensão de que a aliança de Deus com a humanidade tem início desde os tempos eternos.

Se a aliança é eterna, por que então falamos em nova e antiga alianças? É simples! Quando se trata do nosso relacionamento com Deus, realmente há duas alianças e realmente há uma batalha entre o que éramos e o que desejamos ser.

Diante disso, o conflito não é entre as alianças históricas, de antes ou depois de Jesus. O conflito é entre o nosso coração e nossa aliança com Deus antes e depois de nos rendermos a Jesus. Isso significa que quando pensamos em “carne” e “espírito” estamos falando da nossa experiência pessoal com as alianças.

É completamente equivocado descrever a Aliança do Sinai como da carne, ou a Nova Aliança como do espírito. Os termos “carnais” e “espirituais” sempre vão se referir à experiência do ser humano. Só existe uma aliança, que é eterna, mas que foi gradativamente apresentada por Deus à humanidade. E em todo tempo com um único propósito: a salvação. E se falamos de salvação, falamos de evangelho, e se falamos de evangelho, falamos da morte do Cordeiro desde antes dos fundamentos da Terra.

E, assim, voltamos ao nosso ponto de partida: uma aliança eterna distribuída por etapas a fim de que o coração humano deixasse de ser inclinado para as coisas carnais e se voltasse para as espirituais.

E você, está vivendo que experiência com Deus? Sua vida está sob a carne ou sob o espírito? Sem uma resposta honesta a essa pergunta, jamais teremos entendido o verdadeiro sentido da aliança.

Compartilhar.

Sobre o autor

Avatar

Jornalista, editora da ComTexto. Mestre em ciência e pós-graduada em Teologia

Deixe um comentário