Lição 2 – Nudez Exposta

0

O que você acha pior sentir: vergonha ou culpa?

A culpa pode ser algo bastante íntimo, diferentemente da vergonha que nos atinge justamente por nos expor em público. Todos nós já passamos por ambas as situações e a verdade é que nenhuma delas é agradável.
Talvez seja mais fácil evitar situações que nos levem à vergonha do que à culpa. Nesse caso, encaixa-se bem aquele ditado que diz que há pessoas mais preocupadas com a reputação do que com o caráter, afinal a reputação é praticamente uma opinião pública enquanto o caráter pode ser dissimulado.
Seja como for, nossa vergonha ou culpa estão completamente escancaradas aos olhos de Deus. Mesmo que consigamos esconder nossas falhas de caráter para viver de modo aceitável, ainda assim não há como fugir da vistoria divina.
Mas o que chama a atenção é que isso não acontece simplesmente porque Deus é onisciente. Ao observarmos o Salmo 139 e outras porções bíblicas, descobrimos que além da onisciência de Deus está Seu interesse em nos conhecer individualmente. Ele nos sonda, esquadrinha, investiga.
E isso é bom ou é ruim? É, na verdade, inevitável. Contudo, a boa notícia é que quanto mais a gente busca andar em conformidade com o amor e a lei de Deus, menos vulneráveis a exposições inadequadas nós ficamos.
Estar sob a tutela divina nos protege de viver episódios que jamais gostaríamos de nos lembrar. Andar com Deus e desfrutar da intimidade que Ele oferece também nos prepara para dois grandes desafios dos relacionamentos:

  1. Aprender a amar, apesar dos defeitos que se tornam mais visíveis com a convivência e o desgaste natural da relação;
  2. Tornar-se um canal de amor e bênçãos ao outro, assim como Deus é para nós.
    No entanto, nós não somos como Deus, capazes de amar o que não é amável. É por isso que a unidade nos relacionamentos, – alvo capaz de sobrepujar as demais dificuldades – deve ser uma prioridade.
    E quando falamos de sexualidade? Deus também Se importa se isso me faz sentir vergonha ou culpa?
    Deus sabe que nem sempre somos sábios e, por vezes, acabamos vivendo o ápice da nossa intimidade de modo equivocado. Seja como for, Deus o chama para superar isso e qualquer outra marca indesejada. Se você está, assim como Adão e Eva uma vez estiveram, atrás da moita com medo de Deus, pode sair daí. Caso ouça a Sua voz vá correndo ao Seu encontro. Lembre-se de que Deus é aquele que pode amar até o que não é amável.
    Nas mãos de Deus, nem vergonha nem culpa são desperdício, mas toda experiência pode ser usada a fim de ressignificar o que passou para a sua edificação.
Compartilhar.

Sobre o autor

Avatar

Jornalista, editora da ComTexto. Mestre em ciência e pós-graduada em Teologia

Deixe um comentário