Lição 2 – Nudez Exposta

0

“Eu gostaria de ser um mosquitinho para estar ali e ouvir o que foi dito” – possivelmente eu e você já expressamos esse tipo de desejo ao nos depararmos com situações que despertam a curiosidade.
Com certeza você também já sonhou em ter algum superpoder.
Quando nos sentimos impotentes, tendemos a querer superar barreiras de modo miraculoso. Porém, acabamos nos esquecendo de que mais poder é sinal de mais responsabilidade. É como tudo na vida: ônus e bônus.
Felizmente, Deus limitou nossa esfera de ação. Já pensou a humanidade, corrompida como é, tendo algum tipo de superpoder? Já teríamos nos autodestruído.
Já imaginou você lendo o pensamento das outras pessoas, tudo ao mesmo tempo? Por onde você passa, você ouve clamores e louvores, erros e acertos, medos e ousadia, amor, afeto e ódio, malícia e corrupção. Certamente, enlouqueceríamos. É por isso que somente o Eu Sou é Deus.
Eu e você mal conseguimos administrar nossos pensamentos e sentimentos. Passamos uma vida inteira desconhecendo o próprio coração. Se não damos conta de nós mesmos, imagina lidar com o íntimo dos outros?
Somente Deus pode sondar nosso interior. Somente Deus sabe coisas sobre nós que nós mesmos não estamos ainda prontos para enfrentar. É por isso que nossa nudez, no sentido da entrega de quem somos, pertence somente a Ele.
Não somos perfeitos, e Ele já sabe disso desde antes de a gente nascer. Então você não precisa se preocupar em justificar quem você é. Nada disso é preciso. Deus sabe mais sobre você do que você mesmo. Então, não perca tempo, alimente-se de coragem e converse com Ele sobre as deficiências que você já tomou consciência, mas não consegue mudar sozinho.
Não faz sentido a gente tentar se esconder do Deus que Se fez homem para nos salvar. Corre para Jesus e deixa Ele fazer uma faxina no seu interior. Ele sabe exatamente os locais que precisam de aparos e reparos.
Pode confiar!

Compartilhar.

Sobre o autor

Avatar

Jornalista, editora da ComTexto. Mestre em ciência e pós-graduada em Teologia

Deixe um comentário