Lição 10 – Sexo Antes do Casamento

0

Estudo feito pela psicóloga Paige Harden, da Universidade do Texas, e publicado na revista Psychological Science, mostrou que a primeira relação sexual pode influenciar a qualidade e a estabilidade das relações afetivas futuras. Quando a primeira relação sexual ocorre por volta dos 19 anos, isso está associado a maior escolaridade e renda familiar e menos parceiros na vida adulta. Os parceiros casados que adiaram a primeira experiência sexual também reportaram baixos níveis de insatisfação conjugal.

Paige explica que aqueles que primeiro acumulam maturidade cognitiva e emocional e depois entram em relações íntimas aprendem habilidades de relacionamento mais eficazes do que aqueles que têm relações sexuais ainda na adolescência.

Alguns anos atrás, a britânica Sophie Atherton teve sua história publicada no jornal The Guardian. Ela se manteve virgem até os 32 anos, em parte por causa de uma doença grave no início da vida adulta, em parte por escolha, por ter outras prioridades. Com base em sua experiência, ela defende as vantagens de esperar a maturidade para iniciar a vida sexual.

Disse Sophie: “Antes de atingir a idade do juízo, eu estava desesperada para perder minha virgindade enquanto ainda fosse ilegal. Achei que fosse desafiar a autoridade. Quem são eles para me dizer quando eu estava pronta para transar? Mas não aconteceu, embora meu primeiro beijo, aos 15 anos, tenha quase ido longe demais. Ao contrário, acabei fazendo algo muito mais rebelde e incomum: eu me mantive virgem até os 32 anos. […]

“Para uma mulher, falar ‘não’, e fazer sexo apenas quando ela realmente quer, é um ato básico, mas muito poderoso. Demonstra que ela é independente e livre, e, talvez, quanto mais tempo uma mulher se mantém virgem, mais ela tem respeito por si própria e controle sobre seu próprio corpo.

“O legado de minha longeva virgindade vai além da independência – acho que ela me deu uma resistência extra para lidar com as dificuldades da vida e me ensinou a ter paciência. Nossa cultura pode ser a de ‘tudo agora’, mas eu aprendi a esperar. E uma das melhores coisas foi em relação ao sexo em si. Enquanto algumas mulheres da minha idade perderam seu interesse, eu ainda acho tudo tão excitante quanto a primeira vez.”

Percebeu as vantagens?

(1) Com a maturidade, a pessoa tem melhores condições de fazer escolhas sem ser movida pelos apelos da mídia e pela pressão do grupo; (2) a rebeldia natural da adolescência pode levar a escolhas infelizes; (3) antes de iniciar um relacionamento amoroso mais sério, a pessoa pode se desenvolver em outras áreas importantes, como os estudos e a carreira; (4) mais madura, a pessoa pode se relacionar de maneira positiva com o sexo oposto e entender as diferenças naturais entre homens e mulheres; (5) dizer “não” para aquilo de que discordamos reforça nossa autoestima e solidifica o caráter; (6) manter a virgindade e o controle sobre o próprio corpo reforça o respeito próprio; (7) adiar a iniciação sexual para o contexto matrimonial ajuda a manter o interesse sadio no sexo, pois ele não foi banalizado antes; (8) [e este é por minha conta]aprender a esperar desenvolve a paciência e a confiança no Deus que supre nossas necessidades.

Agora tome algum tempo para ler o texto “Virgindade: preservando o presente e o futuro”. http://link.cpb.com.br/6cc8d8

Compartilhar.

Sobre o autor

Avatar

Pastor, jornalista, editor da revista Vida e Saúde e editor associado da ComTexto

Deixe um comentário