Lição 10 – Sacrifício vivo e santo

0

O capítulo 12 de Romanos traz uma mensagem muito importante – basicamente, o que devemos abandonar e o que devemos abraçar como estilo de vida; como diretriz para nossa existência cristã.

O apóstolo Paulo introduz o capítulo exortando seus leitores a oferecer o corpo como sacrifício vivo, numa atitude de autodoação a Deus, de submissão voluntária, “pelas misericórdias de Deus”, ou seja, pela capacitação que vem do Alto. Deus pede e Ele mesmo misericordiosamente oferece os meios e o poder.

Em seguida, Paulo menciona a racionalidade do nosso culto (o cristão não vive de emocionalismo vazio) e continua falando sobre o poder dos pensamentos: “Não vivam conforme os padrões deste mundo, mas deixem que Deus os transforme pela renovação da mente, para que possam experimentar qual é a boa, agradável e perfeita vontade de Deus” (v. 2). Ah, antes que você pense que “poder dos pensamentos” tem algo a ver com poderes “mutantes”, telepáticos, esotéricos ou coisa do tipo, releia o verso e perceba que Deus é quem transforma nossos pensamentos para que eles tenham o poder de orientar nossa vida com a sensibilidade espiritual/cognitiva aguçada a ponto de conhecer e experimentar a vontade divina.

Quando a mente está abarrotada de maus conteúdos, fica difícil discernir entre o certo e o errado, e saber qual é a vontade de Deus. Os padrões de pensamento deste mundo têm esse poder bloqueador e causador de confusão.

Feita essa advertência inicial em que o apóstolo ensina o que não fazer e o que não ser, ele passa a explicar o que fazer e o que ser. Nos versos 3 a 8, ele fala sobre o devido uso dos dons espirituais e a importância da humildade para reconhecer que, na igreja, todos somos importantes.

Do verso 9 até o fim do capítulo, ele fala sobre as virtudes que devem caracterizar a vida do cristão que teve a mente renovada por Deus: amor sem hipocrisia, ódio ao mal e apego ao bem, zelo sem preguiça, perseverança na oração, ajuda aos necessitados, hospitalidade, empatia, humildade, senso de justiça sem desejo de vingança (ela pertence a Deus), etc.

O verso 21 conclui: “Não se deixe vencer pelo mal, mas vença o mal com o bem.” Só para lembrar: tudo começa nos pensamentos. A vitória (ou a derrota) começa dentro da nossa cabeça – o verdadeiro campo de batalha no grande conflito. Portanto, pelas misericórdias de Deus, entregue seu corpo e sua mente a Deus, como um sacrifício vivo, santo e agradável.

Compartilhar.

Sobre o autor

Avatar

Pastor, jornalista, editor da revista Vida e Saúde e editor associado da ComTexto

Deixe um comentário