Lição 1 – Alianças e Sermões

0

Começamos um novo trimestre e muita gente tem perguntado se a Lição sobre Deuteronômio pode ser tão interessante quanto a anterior. É claro que os temas são diferentes, mas você vai se surpreender com a abordagem dada a um livro constante e injustamente reduzido a regras e ordenanças.
Deuteronômio surpreende porque relata, na verdade, os altos e baixos da vida cristã ao longo da história da humanidade. Não é de hoje que o povo de Deus vem dando trabalho, descumprindo o combinado e se enveredando por caminhos declaradamente proibidos.

Nesse contexto, Deus renova Sua aliança conosco, incansavelmente, mas sempre com uma oferta ainda mais específica. Deus gravou a Sua Lei em tábuas de pedra. Sim, Ele as gravou e não foi apenas uma vez. Por duas vezes, Ele as escreveu e entregou a Moisés. Mas, muito maior do que isso é o desejo de Deus de gravar cada palavra no nosso coração.

O desafio está justamente no fato de que Ele nos deu liberdade de escolha. Se confiássemos mais estaríamos em completa sinergia com a vontade divina. Se tivéssemos mais disposição à submissão, veríamos Deus mover para longe aquilo que nos mancha. Se dependêssemos mais, nos sentiríamos mais seguros.

É sobre isso Deuteronômio. Se você está esperando por apedrejamento ou “olho por olho”, ficará decepcionado ao notar que a ênfase reside no relacionamento que Deus está tentando estabelecer com Seu povo desde sempre. Ficará ainda mais admirado ao entender que o Jesus da cruz é o Yahweh do Antigo Testamento, ou seja, não existe um Deus mais bonzinho do que o outro. Foi Cristo o tempo todo!

E onde fica a obediência solicitada em tantas orientações? Bem, a obediência é o resultado de uma vida inundada pela graça. A obediência nunca foi um fim em si mesmo. Antes, ela é a resposta de amor e gratidão a um Deus que sente, que Se emociona e jamais desiste de nós.

Compartilhar.

Sobre o autor

Avatar

Jornalista, editora da ComTexto. Mestre em ciência e pós-graduada em Teologia

Deixe um comentário